Um dos grandes avanços da seleção genética de bovinos de corte no País veio por conta da genômica, uma área da pesquisa que estuda o genoma de um determinado organismo. Foi o que disse em entrevista ao Giro do Boi desta segunda, 06, o médico veterinário Argeu Silveira, diretor técnico da ANCP, a Associação Nacional de Criadores e Pesquisadores.

Por conta das pesquisas nesta área, disse Silveira, hoje é possível usar touros jovens com mais certeza de que suas características serão repassadas à sua progênie. “O que muda no nosso dia a dia? Ele muda o grau de certeza. Quando eu compro um touro de dois anos avaliado, eu tenho de 20% a 30% de certeza que o resultado final será aquele (que consta em suas DEPs – indicadores da Diferença Esperada na Progênie). Pode ser igual, inferior ou melhor do que aquilo. Mas eu tenho de 20% a 30% de certeza daquele resultado. Na hora que eu associo a este resultado fenotípico a genômica, eu passo a ter 70% de certeza, ou seja, eu consigo usar um tourinho jovem com a mesma certeza de um touro com muitos filhos”, explicou o veterinário.

Este será um dos temas abordados no 25º Seminário da ANCP, que acontecerá na próxima sexta-feira, dia 10 de maio, em Ribeirão Preto, interior paulista. Além de genômica, o evento terá apresentações sobre melhoramento genético para produção de carne de qualidade e mostrará a importância da evolução e quais os próximos desafios da eficiência alimentar. As inscrições para o evento são gratuitas e podem ser feitas pelo site ancp.org.br/seminario.

Acurácia no uso de touros jovens salta de 30% para até 70% com genômica