O Giro na Estrada desta sexta, 26, tratou dos cuidados específicos que requer o transporte do gado magro para o confinamento, modalidade de terminação que começa a se popularizar por conta do fim da estação chuvosa. Quem tratou do assunto foi o engenheiro agrônomo e coordenador de logística da Friboi, Leonardo Vieira.

“Às vezes de um retiro a outro, da fazenda dele para um arrendamento, boitel, ou trazer de um arrendamento para a fazenda onde ele faz a engorda desses animais. Esta logística é bom o pecuarista ter ciência e conhecimento dela porque pode facilitar para ele além de trazer uma redução de custo muito grande”, indicou o agrônomo.

Com a mudança brusca da rotina dos animais, o transporte deve ter pouca interferência para evitar que o estresse desnecessário leve, por exemplo, a um refugo de cocho ou a outros problemas derivados. No braço de logística da companhia, a TRP, as viagens de gado magro usam veículos adaptados, roteiros especiais e carga segurada para garantir a chegada dos animais em boas condições para desempenhar no cocho, complementou o coordenador.

Transporte do gado magro para o confinamento requer cuidados específicos; veja quais são